Ronda no Bairro encaminha dependente químico para a Rede Acolhe

Identificar e encaminhar casos de pessoas em situação de vulnerabilidade social é um dos eixos de atuação do Ronda no Bairro (Fotos: Ascom Ronda no Bairro)

Agentes de proximidade do Ronda no Bairro identificaram, na manhã desta quarta-feira (6), no Posto 7, na Jatiúca, um homem em situação de vulnerabilidade social perambulando pelo local. De imediato, o trio de patrulheiros de bike acionou a equipe de Articulação e Mobilização Social do programa para que um atendimento mais aprofundado fosse realizado.

Ao chegar ao local, psicólogas e assistentes sociais conversaram com o cidadão, de 32 anos, que não quis ser identificado, mas que se encontra em situação de rua devido ao uso de álcool e outras drogas. Após o atendimento, o homem aceitou ser encaminhado para uma das 37 unidades acolhedoras vinculadas ao Governo do Estado, por meio do serviço oferecido pela Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev), que busca fortalecer ações de inclusão e resgate social de pessoas com dependência química.

Identificar e encaminhar casos de pessoas em situação de vulnerabilidade social para os órgãos competentes nas esferas estadual e municipal é um dos eixos de atuação do Ronda no Bairro, que foi criado e estruturado para também integrar e facilitar o acesso a diversos serviços públicos oferecidos à população.

Além disso, o programa atende a outros três eixos de atuação: segurança de proximidade; abordagem social/comunitária e articulação para a requalificação de espaços de convivência mútua degradados.

Ascom – 06/06/2018